Chefias da Polícia Judiciária reunidos na Praia

A Polícia Judiciária realiza durante dos dias (20 e 21 de setembro) o seu segundo encontro nacional de chefias.

Depois do primeiro encontro, realizado no passado mês de março, os dirigentes da Polícia Científica caboverdiana voltam a reunir, na Praia, numa mesa redonda, na qual integram o Diretor Nacional, Dr. António Sousa, a Diretora Nacional Adjunta, Dra. Jacqueline Semedo, os Diretores dos Departamentos de Investigação Criminal de São Vicente e do Sal (DICM e DICS), o Representante do Núcleo de Prevenção e Investigação Criminal da Boa Vista (NPIBV), o Diretor dos Departamentos de Apoio à Investigação Criminal,  de Informação Criminal, Polícia Técnica e Apoio Tecnológico, os Coordenadores de Investigação Criminal e os Inspetores-Chefes.

“Estamos perante um encontro de grande importância, já que durante esses dois dias (hoje e amanhã), o pessoal dirigente da Polícia Judiciária vai apresentar, discutir, e aprovar o plano de acção, de prevenção e de investigação criminal para o ano 2019, anexar as atividades realizadas até a presente data e propor, se necessário, medidas objectivas para melhorar a expressão da Polícia Judiciária, no concernente as acções de prevenção e de investigação criminal , durante o último trimestre”, disse o Diretor Nacional

Não obstante os resultados alcançados até aqui, salientou António Sousa, a Polícia Judiciária “esta ciente de que, face a realidade criminal que se vive hoje em Cabo Verde, a instituição não pode acomodar-se, e sim, manter-se paralelamente vigilante e  no cumprimento da missão que lhe foi confiada enquanto órgão da Polícia Criminal e auxiliar da administração da justiça, encarregue da prevenção e investigação criminal, da criminalidade mais grave, altamente complexa, violenta e organizada”.

“Nós registamos com muita satisfação e orgulho o trabalho que vem sendo feito pela Polícia Judiciária, com as operações muito bem sucedidas, que já são do domínio público. Registamos também, com muita satisfação, a forma como a Polícia Judiciária passou a comunicar, e é neste sentido que nós devemos continuar a caminhar”, realçou a Ministra da Justiça e Trabalho, Dra. Janine Lélis,responsável por presidir a abertura oficial do evento.

“Nos sentimos amparados e temos sempre a argumentação forte e válida para defender a Polícia Judiciária, quando nós temos respostas da Polícia Judiciária que traduzem, não só aquilo que é a ambição do Ministério da Justiça e Trabalho, mas também aquilo que é a expectativa da sociedade em relação a fé que coloca na Polícia Judiciária como um auxiliar da justiça nas investigações de processos que saem”, acrescentou a governante.